domingo, 23 de maio de 2010

Bicondicional

(ou aquilo que vai e volta)


Cansei de tantas e tontas condições
mentiras para que outros acreditem
no que querem.
A elas não importam que é você.
Aliás,quem é você?


A não ser aquilo
que aceita e que condiciona suas
próprias intenções de nada ser
e de alguém tentar?


Sou aquilo que soma
e subtrai tantos medos suaves e loucos!
Mágoas e feridas abertas
são tudo que o homem precisa para ser.


E aí,nascem cerrações
e nuances em cada caminho
pois o que de nós pode ser tanto,
do mundo e dos outros,estradas:
os vários lados da alma se abrem.


E assim decidimos pela
bicondicionalidade da vida
ir e voltar infinitamente
no infinito particular de cada um.


Ana Raquel e Luciana Fascetti

3 comentários:

  1. Simbiose perfeita!
    Apanhado de Sentidos, Coloca aí a ferramenta seguidores...

    Bjos!

    ResponderExcluir